Uma nova diplomacia, com menos prestígio

Artigo publicado na revista Problemas Brasileiros em 22 de dezembro de 2020. Trata do livro do ministro das Relações Exteriores a respeito da Nova Política Externa Brasileira, e indica que o governo parece não entender que o país perde prestígio, e que este tipo de reconhecimento depende do que os outros países veem, e não do que o Brasil tenta projetar

Mito desconstruído

Artigo publicado na revista Problemas Brasileiros em 25 de novembro de 2020 trata do assassinato brutal do soldador João Alberto Freitas por seguranças de um supermercado Carrefour em Porto Alegre.

O caso pôs em xeque uma das imagens mais controversas e problemáticas entre as projetadas pelo Brasil no resto do mundo, desde o século passado. As cenas da violência fatal contra um homem negro de 40 anos e as mobilizações antirracistas pelo País mostraram o quanto ultrapassada é a ideia de que o Brasil é uma democracia racial.

A corrupção varrida para debaixo do tapete

Coluna publicada no site da revista Problemas Brasileiros em 20 de outubro de 2020 fala sobre o fim da Operação Lava Jato e o argumento do governo sobre o “fim da corrupção”.

“A ‘morte’ da Operação Lava Jato, anunciada em tom de brincadeira pelo presidente Jair Bolsonaro em outubro, não vai representar uma transformação positiva no conceito que o resto do mundo tem a respeito do Brasil. Em vez de representar a ausência de desvios e ilícitos no governo, como argumentou o presidente, o fim da maior ação contra a corrupção da história do País vai ser vista, do exterior, como a volta daquela imagem em que a impunidade domina.”

A Cara do Brasil – Um país decorativo ainda em 2020

Comentário no quadro A Cara do Brasil, da rádio CBN, em 11 de outubro de 2020 fala sobre a edição mais recente da pesquisa internacional Nation Brands Index. Este estudo de imagens internacionais de países mostra que o Brasil tem uma imagem positiva em termos de cultura e lazer, mas negativa em assuntos mais sérios, como política e economia.

É um resultado que reforça o que se vê há anos em pesquisas deste tipo, como discuti no artigo “Brazil is not (perceived as) a serious country”, em que analisei os resultados de 10 pesquisas de opinião globais sobre a imagem do Brasil.

Liderança queimada

Artigo publicado na coluna quinzenal da revista Problemas Brasileiros em 06/10/2020 fala sobre a mudança no papel do Brasil na política ambiental internacional.

O país que um dia foi uma das principais lideranças internacionais em políticas ambientais e ações contra o aquecimento global se tornou um pária. Em menos de dez anos, o Brasil passou de negociador-chave em acordos multilaterais e sede da Rio+20, um dos eventos mais importantes para as negociações de proteção da natureza mundial, a símbolo de descuido ambiental.

As notícias das últimas semanas aceleraram um processo que vinha ganhando força desde a eleição de Jair Bolsonaro em 2018. Primeiro foram os incêndios recordes no Pantanal, que se juntaram às imagens do fogo que destrói a Amazônia de forma acelerada desde 2019. Em seguida vieram as decisões do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), que tiraram a proteção de manguezais e restingas.

Coluna na revista Problemas Brasileiros

A revista Problemas Brasileiros (PB) começou em setembro a publicar em seu site uma coluna quinzenal escrita por mim, além de um texto na edição bimestral impressa da PB.

Os artigos publicados na revista vão tratar de relações internacionais, política externa, o papel do Brasil no mundo e a imagem do país no exterior.

O texto de estreia tratou da queda do PBI do Brasil, e como isso já faz parte da percepção de que o país vive um constante turbilhão econômico.

Resenha de livro – Status and the Rise of Brazil

A edição mais recente da revista acadêmica Brasiliana – Journal for Brazilian Studies publicou uma resenha de livro escrita por mim. A obra trata do status do Brasil em Relações Internacionais.

Clique aqui para ver o texto completo na Brasiliana

Abaixo, um pequeno trecho traduzido da resenha:

“Embora já sejam conhecidas as ambições do Brasil por mais status , poucas pesquisas têm sido desenvolvidas como meio de compreender o resultado dessa busca pelo reconhecimento internacional e qual o nível de prestígio real do país. ‘Status and the Rise of Brazil’ é uma coletânea de capítulos que enfoca justamente a questão da posição do Brasil no mundo com uma abordagem teórica que atenta a essa ideia de status em RI. Os capítulos estipulam a conquista do status como um dos principais impulsionadores do alcance global do Brasil e oferecem uma discussão aprofundada sobre o assunto com diferentes abordagens, preenchendo muitas lacunas para colocar a recente bolsa de estudos do status em contato com o estudo do caso do Brasil.”

O Globo – Bolsonaro destrói caminhos para construção de prestígio do Brasil

Artigo publicado pelo jornal O Globo em 19 de agosto de 2020.

Apresenta alguns dados iniciais da pesquisa de doutorado pelo King’s College London em parceria com o IRI/USP. Indica como a percepção de caminhos para construção do prestígio internacional contrasta com o que o governo do Brasil tem feito de fato desde 2019.

Abaixo, alguns dos trechos do texto:

Ao se tornar epicentro da pandemia do novo coronavírus em meio a uma crise política e a uma postura presidencial de negação da ciência, o Brasil viu nos últimos meses sua imagem internacional atingir um dos piores patamares da história. Para além dos problemas internos, que pioram a reputação do país, o governo de Jair Bolsonaro parece interessado em destruir qualquer alternativa de caminho para a construção e ampliação do prestígio internacional do Brasil.

Esta avaliação é parte dos resultados da pesquisa de doutorado (ainda inédita) que desenvolvo no King’s College London (em parceria com a USP). Ela se baseia em entrevistas com 94 membros da comunidade de política externa dos cinco países que são membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU — ou seja, as maiores potências do planeta.

Ao analisar o nível de reconhecimento da importância do Brasil para essas potências, é evidente que o país não tem muito poder militar ou econômico, e que soft power (poder de influência sem uso da força) tem alcance limitado. Assim, seria necessário e possível usar caminhos alternativos para ampliar o status do Brasil no mundo. Esses caminhos é que estão sendo destruídos pelo atual governo.”