Erica Butow – A lógica invertida da educação no Brasil

Entrevista com a CEO e cofundadora da ONG Ensina Brasil ao canal Um Brasil, com participação de estudantes da Brazilian Student Association.

Butow critica a concepção de que um aluno bem-sucedido é aquele que tira nota suficiente para passar no vestibular, assim como um professor modelo é quem sabe ensinar como ser aprovado em um exame do tipo.

“O jeito que pensamos a avaliação foi invertido. Criamos a avaliação e, depois, o que o aluno deveria saber. Não tem como isso dar muito certo. Temos de ter um projeto de País, um projeto de cidadão, para, assim, determinar o que o aluno deveria saber e por que – e como vamos avaliar isso”, argumenta Erica. “No momento em que se inverte esta lógica, quando se tem um sistema de avaliação determinando o que o aluno deveria aprender, começa-se a criar todos os incentivos perversos”, complementa.

Por uma relação mais saudável com os EUA

A tensão gerada no Brasil pelas eleições nos Estados Unidos mostram que é preciso desenvolver uma relação diferente com o país e o resto do mundo. Uma posição de maior autonomia e independência permitiria ao Brasil não depender tanto do que decidem os cidadãos em outro país.

Este foi o tema da coluna publicada pela revista Problemas Brasileiros em 03 de novembro de 2020.

A corrupção varrida para debaixo do tapete

Coluna publicada no site da revista Problemas Brasileiros em 20 de outubro de 2020 fala sobre o fim da Operação Lava Jato e o argumento do governo sobre o “fim da corrupção”.

“A ‘morte’ da Operação Lava Jato, anunciada em tom de brincadeira pelo presidente Jair Bolsonaro em outubro, não vai representar uma transformação positiva no conceito que o resto do mundo tem a respeito do Brasil. Em vez de representar a ausência de desvios e ilícitos no governo, como argumentou o presidente, o fim da maior ação contra a corrupção da história do País vai ser vista, do exterior, como a volta daquela imagem em que a impunidade domina.”

A Cara do Brasil – Um país decorativo ainda em 2020

Comentário no quadro A Cara do Brasil, da rádio CBN, em 11 de outubro de 2020 fala sobre a edição mais recente da pesquisa internacional Nation Brands Index. Este estudo de imagens internacionais de países mostra que o Brasil tem uma imagem positiva em termos de cultura e lazer, mas negativa em assuntos mais sérios, como política e economia.

É um resultado que reforça o que se vê há anos em pesquisas deste tipo, como discuti no artigo “Brazil is not (perceived as) a serious country”, em que analisei os resultados de 10 pesquisas de opinião globais sobre a imagem do Brasil.

Liderança queimada

Artigo publicado na coluna quinzenal da revista Problemas Brasileiros em 06/10/2020 fala sobre a mudança no papel do Brasil na política ambiental internacional.

O país que um dia foi uma das principais lideranças internacionais em políticas ambientais e ações contra o aquecimento global se tornou um pária. Em menos de dez anos, o Brasil passou de negociador-chave em acordos multilaterais e sede da Rio+20, um dos eventos mais importantes para as negociações de proteção da natureza mundial, a símbolo de descuido ambiental.

As notícias das últimas semanas aceleraram um processo que vinha ganhando força desde a eleição de Jair Bolsonaro em 2018. Primeiro foram os incêndios recordes no Pantanal, que se juntaram às imagens do fogo que destrói a Amazônia de forma acelerada desde 2019. Em seguida vieram as decisões do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), que tiraram a proteção de manguezais e restingas.